enfrdeites
Claúdio Salles

Claúdio Salles

O LEMI transmite nessa quinta feira, 17 de maio de 2018, às 14:30h, a palestra "Diálogos e Idéias sobre mobilidade urbana e segurança no ciclismo", com a socióloga Klarissa Platero (vice coordenadora do curso de Segurança Pública e Social da UFF).  A  atividade é uma iniciativa do projeto LABCICLO e contará também com a participação do antropólogo Lenin Pires, diretor do INEAC UFF . O LEMI - Laboratório Estúdio Multimídia do INEAC transmitirá o evento pelo canal no youtube: https://www.youtube.com/channel/UCd_ftuMjKeqkN0q7yqV2TSg

O “Labciclo: Diálogos e ideias sobre mobilidade urbana e segurança no ciclismo” é um projeto de extensão, coordenado pela professora Klarissa Platero e pelo professor Lenin Pires, do DSP/UFF. São organizado em 10 encontros mensais, sendo o primeiro hoje, 17 de maio de 2018, no LEMI.

Com uma filosofia de trabalho interdisciplinar, colaborativa e criativa, o projeto é um espaço dentro da universidade pública de interface com a sociedade civil, esta representada por movimentos cicloativistas, por ciclistas esportivos ou não, por instituições da segurança pública e por cidadãos interessados no tema da segurança no ciclismo.

A iniciativa se propõe a produção de informação, conhecimento, tecnologia e soluções para os problemas relacionados à segurança dos ciclistas.

 Atividade tratará dos seguintes pontos:

  1. diminuir os riscos de acidentes envolvendo ciclistas (atropelamentos, em especial);
  2. diminuir os riscos de ciclistas serem roubados ou furtados;
  3. planejar e interligar as ciclovias de uma maneira inteligente;
  4. esclarecer a população sobre direitos e deveres dos ciclistas, dos motoristas e dos pedestres de modo a difundir a ideia de um trânsito menos hostil e mais harmonioso;
  5. incentivar o uso seguro de bicicletas como meio de transporte não poluente e saudável para o indivíduo;
  6. planejar a criação de áreas para a prática do ciclismo de competição;
  7. estabelecer diálogo contínuo com instâncias governamentais para viabilizar a execução das ideias construídas dentro do Labciclo.

 

O curso de bacharelado em Segurança Pública e Social da UFF realiza, nessa quarta dia 16 de maio de 2018, dentro do tema  Diálogos entre Antropologia e Direito,  a palestra "Produção e Reprodução da tradição inquisitorial no Brasil: entre confissões e delações premiadas" , com o professor antropólogo Roberto Kant de Lima, coordenador do INCT-INEAC. A atividade faz parte da disciplina Antropologia do Direito II, da professora Luciane Patrício. A palestra terá início às 18 horas, na sala 3 do prédio do Instituto Biomédico da UFF

Hoje, 15 de maio, às 14hrs, será realizada na Universidade Federal Fluminense a aula "A Maconha no Cinema Brasileiro", com o pesquisador de cinema e drogas Rafael Morato Zanatto, parte da disciplina optativa de "Marcrociminalidade: moral, direito e mercado no Brasil". O curso será realizado sob o amparo do Departamento de Segurança Pública do Instituto de Estudos Comparados em Administração de Conflitos, da Universidade Federal Fluminense.

Serão discutidos o texto Alguns dados novos sobre a maconha (1915), de Rodrigues Dória, e os capítulos Maconha, Erva Maldita (1949), um filme de Raul Roulien e Maconha (1953): A expedição folclórica de Alceu Maynard Araújo na cidade de Piaçabuçu, Alagoas, ambos de autoria de Zanatto e publicados no livro Fumo de Angola: Cannabis, Racismo, Resistência Cultural e Espiritualidade, organizado por Edward MacRae e Wagner Coutinho Alves.

Professor anfitrião: Prof. Dr. Marcos Veríssimo, autor do Livro Maconheiros, Fumons e Growers: Um Estudo Comparativo do Consumo e do Cultivo Caseiro De Canábis No Rio De Janeiro e Em Buenos Aires.

Rafael Morato Zanatto é Historiador, mestre e doutorando em História e Sociedade - UNESP e pesquisador do Grupo Maconhabrás, do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID/UNIFESP) e atua como pesquisador associado da Cinemateca Brasileira sobre a obra de Paulo Emílio Sales Gomes.

Convidamos a todos para participar pela transmissão ao vivo do LEMI (Laboratório e Estúdio Multimídia do InEAC) pelo YouTube às 14:00 hrs. Para ficar por dentro e receber as notificações, se inscreva no canal do InEAC no Youtube e no Facebook e não perca esse encontro.

Para assistir e se inscrever no canal do youtube do InEAC acesse: https://www.youtube.com/channel/UCd_ftuMjKeqkN0q7yqV2TSg?view_as=subscriber

 

Imagens: Claudio Salles e Bernardo Girauta; Divulgação nas redes: Bruna Alvarenga; Produção: Bruna Alvarenga, Breno Patrizzi, Bernardo Girauta e Dom Igor; Mesa de Corte: Breno Patrizzi e Dom Igor; Direção: Claudio Salles.

Realização: LEMI - Laboratório Estudio Multimídia do INCT InEAC.

 

Nessa sexta feira, dia 18 de maio o LEMI - Laboratório Estúdio Multimídia do INEAC transmite apresentação do antropólogo Luís Roberto Cardoso de Oliveira (UNB) lançando  o seu novo livro Desvendando Evidências Simbólicas. Compreensão e Conteúdo Emancipatório da Antropologia, com textos escritos ao longo das últimas três décadas, este livro de Luís Roberto Cardoso de Oliveira tem como tema a interpretação e a perspectiva antropológicas. O pano de fundo é sempre a questão da compreensão e das condições de fundamentação do conhecimento produzido. Os capítulos articulam-se em torno da dimensão simbólica da vida social e a sua precedência na compreensão do antropólogo; quais as implicações normativas da interpretação antropológica; e como a ampliação do horizonte histórico-cultural do intérprete e de seus leitores tanto viabiliza uma melhor compreensão da vida social quanto permite uma reflexão crítica sobre as condições de existência vigentes. Para quem quiser assistir ao vivo, o laboratório do LEMI tem 40 lugares e o endereço é Rua José Clemente 73, 9 andar, centro de Niterói. Para assistir pela web acesse e se inscreva no nosso canal do youtube:https://www.youtube.com/c/ineac

O evento terá início às 15 horas. 

 

 

Aconteceu nesse sábado, 12 de maio, na  UniCarioca, Unidade Rio Comprido, a oficina “Visão 2020, Amanhã Agora” do Projeto Baixo Rio , coordenado pelo arquiteto urbanista Guto Santos. As oficinas abordaram questões fundamentais para retomada das paisagens cariocas destruídas pelo processo de urbanização do passado. No segundo momento, a oficina realizou um diálogo aberto com os participantes, propondo estratégias para a reconstrução coletiva desses espaços marginalizados, tendo como foco a Avenida Paulo de Frontin.

O evento contou com a participação de especialistas em Mobilidade Urbana, Paisagismo Ecológico, Segurança e Sistemas de Encontros.

 

Publicamos a nota de repúdio da ANPUH (Associação Nacional de História) contra ataques a UFF.

NOTA DE REPÚDIO DA ANPUH NACIONAL

A ANPUH NACIONAL vem somar-se a todos que repudiaram os acontecimentos do dia 27 de abril no Instituto de Ciências Humanas e Filosofia (IFCH) da Universidade Federal Fluminense (UFF), por entender que a universidade pública e laica não deve ser espaço para nenhum proselitismo religioso, sobretudo quando se dá de forma agressiva, acompanhado de discurso de ódio e colocando em risco a integridade física de alunos, funcionários e professores. E mais ainda quando esse proselitismo é acompanhado por ameaças e deliberadas inverdades disseminadas nas redes sociais. O caráter violento e fundamentalista do grupo que se autodenomina Movimento Cristão Universitário é reiterado em suas postagens na internet, que evidenciam articulações com outros grupos de direita e extrema-direita, que pretendem transformar a universidade pública em reprodutora de dogmas e preconceitos a favor de seu proselitismo religioso fundamentalista. Na UFF, o conflito foi premeditado e anunciado um dia antes, evidenciando o caráter belicoso com que o grupo entrou no campus, numa ação que ele próprio configura como Missão Cruzada Universitária. Como historiadores, sabemos perfeitamente que o espírito de cruzada implica em imposição de ideias pela força e contradiz a tradição da universidade constituir um espaço para a livre discussão, através de argumentação que respeite as diferenças ideológicas e culturais, num clima condizente com os princípios de convivência em uma sociedade democrática.A universidade pública e laica não pode ser, portanto, lugar para pregações que disseminam o ódio em nome da intolerância religiosa, do racismo, do machismo e da  homofobia, e é nosso dever defendê-la desses ataques.

O LEMI transmite na próxima terça, dia 15 de maio dentro do curso: “Macrocriminalidade: moral, direito e mercado no Brasil”, o tema “Proibicionismo”, o “Anti-proibicionismo”, e seu campo de forças, repressões e contornos . A aula terá a participação do Professor e Pesquisador Rafael Zanatto, doutorando em História pela Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho (UNESP), possuindo pesquisa sobre a crítica de Paulo Emílio Salles Gomes ao cinema Alemão do período entre-guerra e sua recepção, em França, Alemanha e Brasil, de 1919-1964 .

 “Macrocriminalidade: moral, direito e mercado no Brasil” é uma disciplina optativa do curso de graduação em Segurança Pública da Universidade Federal Fluminense,  ministrada pelos Professores Marcos Veríssimo (InEAC/UFF), Monique Prado (PPGSD/UFF) e Yuri Motta (PPGSD/UFF), a disciplina tem o objetivo de apresentar diversas abordagens de caráter multidisciplinar, cujos temas focam em discutir o que se convencionou a chamar de “problema das drogas”.
O curso está dividido cinco unidades que visam tratar das questões de moral, direito e mercado, dentro outros aspectos, que configuram situações muito diversificadas que são apressadamente colocadas como um só “problema”. Para iniciar a quarta unidade sobre o “Proibicionismo”, o “Anti-proibicionismo”, e seu campo de forças, repressões e contornos.
Convidamos a todos para participar pela transmissão ao vivo do LEMI (Laboratório e Estúdio Multimídia do InEAC) ao vivo pelo YouTube, no dia 14, terça-feira ás 14:00 hrs. Para ficar por dentro e receber as notificações, se inscreva no canal do InEAC no Youtube e no Facebook e não perca esse encontro.

Para assistir e se inscrever no canal do youtube do INEAC acesse https://www.youtube.com/channel/UCd_ftuMjKeqkN0q7yqV2TSg?view_as=subscriber

Segurança Pública da Mulher no Rio de Janeiro, esse é o tema da mesa de debate que acontece no próximo dia 15 de maio de 2018. A atividade será entre às 15 e 17h, no auditório do Bloco "O" do ICHF, no Campus do Gragoatá da UFF, em Niterói - RJ. A organização é do GT de mulheres do Centro Acadêmico da História da UFF. Compondo a mesa estarão Letícia Rocha, Klarissa Platero, Izabel Nuñes e Paula Veloso. A mesa será mediada por Ana Carolina Padovani. 

 

Acontece entre 24 a 26 de maio de 2018, na PUC-Rio, o SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM DEFESA DAS GARANTIAS JURÍDICAS E DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS, O evento contará com a participação da antropóloga Jacqueline Muniz (UFF), pesquisadora vinculada ao INCT INEAC, que no dia 25/5, de 9h às 12h, comporá a mesa Desconstrução do Estado Democrático de Direito, das Reformas Inconstitucionais à Intervenção Federal-Militar em plena Democracia, junto com o Juiz Federal e atual governador do Maranhão Flavio Dino, dentre outros participantes (Confira a programação abaixo)  . 


A inscrição para o Seminário é gratuita e pode ser feita através do site da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia - ABJD www.abjd.com.br 

O Seminário Internacional e a Assembleia da ABJD serão realizados na PUC-Rio (Rua Marques de São Vicente , 225, Gávea, Rio de Janeiro - RJ)

Público: O evento é destinado a todos os juristas que atuam no sistema de justiça. 

Na Assembleia da ABJD poderão participar apenas os associados em dia com a anuidade. 

:::::: PROGRAMAÇÃO ::::::

QUINTA-FEIRA - 24 DE MAIO

8h - Credenciamento

9h às 12h - O Sistema de Justiça e o Compromisso com a Democracia na América Latina

> Maria José Fariñas Dulce – catedrática de filosofia do direito da Univesidade Carlos III – Madrid e que participou do Tribunal Internacional pela Democracia no Brasil, em 2016;
> Nicolas Trotta – jurista e Reitor UMET – Argentina e que acompanha o movimento de ativismo judicial na Argentina e no Brasil;
> Alicia Ruiz – magistrada da Corte Suprema da Argentina;
> Juan Martín Mena – advogado escritório Zaffaroni e que leva adiante os processos contra Cristina Fernandes na Argentina; mediação Carol Proner

14h às 18h – Movimentos Antidemocráticos e Defesa das Garantias Jurídicas e Políticas

> Maria Elena Rodríguez – professora especialista em ativismo judicial e constitucionalismo – Colômbia;
> Gerardo Caetano – historiador e politologo uruguaio, professor da Faculdade de Ciencias Sociais da UdelaR, Centro UNESCO de Montevideu;
> Christophe Ventura – pesquisador do IRIS e especialista em América Latina, acompanha o fenômeno do ativismo judicial – França;
> Carlos Amauri Chamorro – jornalista e analista político equatoriano-brasileiro. 

*SEXTA-FEIRA - 25 DE MAIO*

9h às 12h – Desconstrução do Estado Democrático de Direito, das Reformas Inconstitucionais à Intervenção Federal-Militar em plena Democracia;

> Jacqueline Muniz – antropóloga, cientista política e especialista em segurança pública da Universidade Federal Fluminense (UFF) 
> Gisele Cittadino – professora da PUC-Rio e fundadora da ABJD-Rio;
> Martonio Mont`Alverne Barreto Lima- professor da Unifor e procurador do Município de Fortaleza
> Flávio Dino – governador do Maranhão;

14h às 17h – O Papel da ABJD na Resistência às Rupturas e Retrocessos Democráticos

> Cezar Britto - Ex-presidente da OAB
> Kenarik Boujikian - Desembargadora do TJSP
> Andre Castro 
> Beatriz Vargas 
> Afranio Silva Jardim
> Jessy Dayane - Presidente da UNE

17h – Encerramento: Cenários de Resistência Democrática na Europa e na América Latina 

> Matín Granovsky – jornalista, articulista político internacional e diretor do diário argentino Página 12;
> Francisco Louça – economista e político português, coordenador do Bloco de Esquerda e professor do Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa.
mediador: Tarso Genro

*SÁBADO - 26 de maio*

9h – Assembleia da ABJD (apenas para associados)
- Apresentação do Projeto Político
- Apresentação do Estatuto e Regimento Interno
- Apresentação da construção dos Núcleos pelas regiões
- Apresentação da Carta de Princípios

12h - Encerramento

A Comissão de Direitos Humanos e Assistência Judiciária da OAB/RJ em parceria com a Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal da OAB, realiza nessa sexta-feira, 11 de maio de 2018, o debate Política de drogas no Brasil  e que abordará os efeitos e consequências sociais, econômicas e políticas da Lei 11.343, de 2006, assim como dos programas e ações desenvolvidas pelo Estado brasileiro nos últimos 20 anos.
 
O evento terá a participação do antropólogo Frederico Policarpo, pesquisador vinculado ao INCT INEAC, além de outros especialistas no tema . O debate acontece na  próxima sexta-feira, dia 11, com início às 18h, na sede da OAB/RJ. A entrada é gratuita. Mais informações pelo telefone (21) 2730-6525.

Página 71 de 90